Revista Lubes em Foco
Qualidade dos lubrificantes melhora no Brasil.
 Imprimir     Indicar para amigo
O Boletim da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, referente ao bimestre setembro/outubro, mostra uma sensível melhora na qualidade dos óleos lubrificantes analisados, entretanto, houve um desconcertante aumento das não conformidades com relação aos rótulos das embalagens analisadas.

Os números mostram uma tendência de redução das não conformidades com relação à qualidade, caindo da incômoda e resistente marca dos 22%, que marcou o primeiro semestre, para 16,3% no período de setembro a outubro de 2011. O bimestre julho/agosto já havia sinalizado uma melhora desse índice, com 18,2%, e acredita-se que a mudança para a verificação bimestral feita a partir do segundo semestre trouxe mais precisão para essa medida.

Das amostras que apresentaram problemas de qualidade, cerca de 60% não tinham aditivação ou essa era insuficiente para atender às especificações requeridas. 24,3% não confirmaram a viscosidade especificada e 4,3% tiveram suas viscosidades a baixa temperatura, medidas pelo teste CCS, fora de especificação. Ainda foram detectados 8,6% dos produtos automotivos analisados com presença de básicos naftênicos e 2,9% com presença de óleo vegetal.

O desconforto ficou por conta das não conformidades nos rótulos, que vem crescendo constantemente, chegando a 18,4% no bimestre setembro/outubro, contra 15% no bimestre anterior e 12,5% no mês de junho. Os principais problemas nesse quesito foram a identificação e/ou ausência do lote e da data de fabricação, somando respectivamente 28,8% e 28,9%.

Os problemas com relação a registro de produtos atingiram 9,5% das amostras, mantendo o mesmo nível dos últimos meses e continuam basicamente a ser desatualização e/ou falta do registro.

A listagem com todos os produtos e empresas que apresentaram não conformidades pode ser encontrada no site da ANP, em www.anp.gov.br/?id=624