Revista Lubes em Foco
Pesquisa diz que temos quantidade suficiente de engenheiros.
 Imprimir     Indicar para amigo
Números divulgados pelo Instituto de Pesquisa Aplicada – IPEA mostram que, nos últimos 10 anos, tem havido um grande salto na formação de engenheiros e que, mantida essa tendência, não teremos nenhum problema quantitativo, ou seja, risco de faltar pessoas diplomadas em Engenharia na próxima década.

De acordo com os pesquisadores Paulo Nascimento e Rafael Pereira, do IPEA, tem havido um grande salto na formação de engenheiros. Todos os indicadores são crescentes: número de vagas, de cursos, de candidatos aos vestibulares, de ingressantes nas universidades e também de concluintes.

"Mantida essa tendência, não vemos para os próximos dez anos um problema quantitativo, ou seja, o risco de faltar pessoas diplomadas em engenharia", afirmam. Os dados apresentados pelos dois pesquisadores contrastam com pesquisas recentes que afirmam que o Brasil sofre escassez de talentos e que o apagão de engenheiros era iminente.

Nascimento atentou também para outras hipóteses, como o nível de qualificação do engenheiro, a incapacidade do estudante em concluir o curso (por carência até de educação básica), a possível falta de mão-de-obra em determinadas especialidades e a localização espacial.

"Os números [que temos] não mostram carência quantitativa em nível nacional, mas a formação de engenheiros pode estar concentrada em algumas regiões, em detrimento de outras que passem a contar com investimentos produtivos," disse Paulo Nascimento.

Rafael Pereira, por sua vez, comentou sobre a aventada necessidade de um plano emergencial de "importação" de engenheiros para assegurar a execução de tantas obras planejadas para o Brasil na década que começa.

"Também apresentamos esses dados. O número de engenheiros estrangeiros vem crescendo um pouco desde 2001. Mas ainda não ultrapassa o nível de contratados no início da década de 90 e, proporcionalmente aos brasileiros, é ainda um número muito pequeno. Por isso, pensar na hipótese de importação desses profissionais seria acupuntura, algo realmente pontual, para um ou outro setor," afirmou.

Fonte: Inovação Tecnológica