ANP detecta fraudes na qualidade dos lubrificantes.
 Imprimir     Indicar para amigo
O Programa de Monitoramento da Qualidade dos lubrificantes da Agência Nacional do Petróleo, Gas Natural e Biocombustíveis – ANP mostrou 20,1% de não conformidades quanto à qualidade, no mês de outubro. Ausência de aditivos e presença de básico naftênico são alguns dos problemas detectados.

A avaliação quanto à qualidade foi realizada somente nas amostras conformes em relação ao registro ANP. Dessa forma, foram avaliadas 134 amostras, ou seja, 93,1% do total foram submetidas às análises físicoquímicas para fins de verificação da conformidade quanto à qualidade, de acordo com o disposto na Resolução ANP nº 10/2007.

Os seguintes parâmetros foram analisados:
  • Aditivação, por meio da análise dos seus componentes ativos: Ca, Mg, Zn e P;
  • Viscosidade cinemática a 100ºC;
  • Viscosidade cinemática a 40ºC;
  • Viscosidade dinâmica à baixa temperatura – CCS;
  • Índice de viscosidade – IV;
  • Espectroscopia de infravermelho para detecção de produtos prejudiciais ao motor, como óleo vegetal, básico naftênico e extrato aromático.
O percentual de não conformidade quanto à qualidade já havia atingido 23,8% em setembro, mas a queda apresentada em outubro para 20,1% não causa muita animação, uma vez que esse número ainda pode ser considerado alto.

Para apertar mais o cerco contra os fraudadores, a ANP publica na íntegra, a lista dos produtos e empresas com problemas, indicando quais foram as não conformidades em cada caso. A lista pode ser encontrada no site http://www.anp.gov.br/?id=624